O USO DA EXPRESSÃO ESPAÇOS NÃO FORMAIS NO ENSINO DE CIÊNCIAS

  • Saulo Santos
  • Augusto Terán

Resumo

Na dinâmica do ensino de ciências ocorrem situações que são difíceis de serem apresentadas e ensinadas em sala de aula. Como alternativa para esta problemática, se tem os Espaços Não Formais, porém, na literatura ocorre uma polissemia sobre esta expressão. O objetivo deste trabalho é analisar a possibilidade de construção de um conceito de Espaços Não Formais para a realidade pedagógica brasileira. Para tal fim, fizemos um levantamento bibliográfico e analisamos pesquisas internacionais e nacionais em nível de pós-graduação no período de 2000 a 2010 disponibilizadas no Banco de Teses da Capes. Tanto no contexto nacional como internacional, encontrou-se que o sentido atribuído ao termo “não formal” é diferente. No contexto nacional recentemente têm se valorizado ações de ensino formal e tem se apropriado de espaços educativos fora da escola, o que tem sido reportado principalmente em pesquisas sobre o ensino de Ciências. Contudo, este termo passou por uma modificação conceitual de Educação Não Formal para uso de Espaço Não Formal. A asserção do uso do conceito Espaços Não Formais em pesquisas em programas de pós-graduação, em especial mestrados profissionalizantes, pode ser explicado em relação da exigência de produtos finais de pesquisa.

Publicado
2017-04-25
Como Citar
SANTOS, Saulo; TERÁN, Augusto. O USO DA EXPRESSÃO ESPAÇOS NÃO FORMAIS NO ENSINO DE CIÊNCIAS. Revista Areté | Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [S.l.], v. 6, n. 11, p. 01-15, abr. 2017. ISSN 1984-7505. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/68>. Acesso em: 16 dez. 2019.
Seção
Artigos