• v. 10 n. 22 (2017)

    Vol.10 – № 22 – (2017)

     APRESENTAÇÃO

    Neste volume a Revista Areté traz uma série de artigos sobre o Ensino de Ciências, com destaque para três pesquisas no Ensino de Matemática. A maioria das produções são de Programas de Pós-Graduação de outros Estados do Brasil, o que dá credibilidade ao trabalho realizado pela revista e amplia o nosso leque de atuação.

    O Comitê Editorial

  • Número Especial
    v. 10 n. 21 (2017)

    APRESENTAÇÃO

    Romantizada pelos poetas. Pesquisada pelos cientistas. Ignorada pelos poderes. Vivenciada pela sua gente. A Amazônia, hoje, é fonte de interesse de todos! Sua pujança socioambiental, inequivocamente, convoca todos os“olhares” sobre a mesma. É nesse intuito que o Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências na Amazônia da Universidade do Estado do Amazonas - PPGEEC/UEA, conjuntamente, com o Programa de Pós-Graduação em Ciências do Ambiente e Sustentabilidade na Amazônia da Universidade Federal do Amazonas - PPGCASA/UFAM traz à baila uma primeira experiência de reflexões e práticas de cunho  interdisciplinar sobre a Amazônia.

    Para tanto, como resultado desse encontro apresenta-se essa edição especial composta por 20 artigos científicos que evidenciam a imbricação entre os elementos sociais, políticos, culturais, econômicos e ambientais que compõem a Amazônia do século XXI. Nesse sentido, visando expor proficuamente o engendramento dos fatores constituintes do sistema ambiental amazônico e seus desdobramentos, os artigos foram divididos em dois eixos temáticos: questões ambientais e temáticas educacionais. O eixo 01, questões ambientais, é composto pelos 10 primeiros artigos que abordam temas transversais, como agroecologia, governança, áreas protegidas, gestão territorial, sustentabilidade, conservação, e dinâmica de paisagens. O eixo 02, composto, também, por 10 artigos, apresenta temáticas educacionais transversais referentes à educação ambiental, à alfabetização ecológica, e à cidadania.

    Assim, o conjunto de artigos que compõe os dois eixos temáticos desse número da Revista Areté, desvelam inúmeras possibilidades teóricas e metodológicas de construção e reconstrução da tríade ensino-pesquisa-extensão necessária à educação ambiental presente e futura. Espera-se que o leitor, após a leitura deste número da revista, empodere-se cada vez mais diante dos novos instrumentos esboçados nos artigos e nos eixos temáticos. Boa leitura!

    O Comitê Editorial

     

  • Número Especial
    v. 9 n. 20 (2016)

    REVISTA ARETÉ (Manaus)

     Vol.9 – № 20 – (2016)

     APRESENTAÇÃO

    Este número especial da revista Areté contempla artigos relacionados a trabalhos apresentados durante o VI SIMPÓSIO EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA/SECAM e XI SEMINÁRIO DE ENSINO DE CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA ocorrido entre os dias 03 e 07 de outubro de 2016, na cidade de Manaus na Escola Normal Superior da Universidade do Estado do Amazonas. A seleção dos trabalhos foi feita pelo Comitê Científico do evento e pelo Comitê Editorial da Revista Areté.

    O VI SECAM, edição 2016 com o temaPERSPECTIVAS E DESAFIOS PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA teve como finalidade promover discussões relativas à Educação e Ensino de Ciências, e possibilitou a produção do conhecimento científico, de modo a incentivar as pesquisas no contexto Amazônico e seus impactos na vida da sociedade, na perspectiva de uma cidadania razoavelmente científica.

    Neste número, publicamos 23 artigos assinados por autores diversos que buscaram durante o simpósio comunicar múltiplos saberes a seus pares. A participação no SECAM tem sido significativa e constitui um marco no Programa de Mestrado em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia, não só pela contribuição aos alunos e professores da escola pública, mas também pela vasta produção e visibilidade cientifica. Boa leitura.

    O Comitê Editorial

     

     

     

  • v. 9 n. 19 (2016)

    Vol.9 – № 19 – (2016)
    APRESENTAÇÃO

    Neste volume a Revista Areté traz significativos artigos sobre o ensino de ciências, principalmente no ensino de Matemática. A maioria das produções são de autores de outros estados, o que dá credibilidade ao trabalho realizado e amplia o nosso leque de atuação.

    O Comitê Editorial

  • v. 9 n. 18 (2016)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.9 – № 18 – (2016)

    Neste volume a Revista Areté traz significativos artigos sobre o ensino de ciências, principalmente no ensino de Matemática e Química. A maioria das produções são de autores de outros estados, o que dá credibilidade ao trabalho realizado e amplia o nosso leque de atuação.

    A lista é, sem duvida, extensa, e a expectativa para os próximos números é manter a publicação dessa quantidade de artigos, mas não se trata só de quantidade, pois a qualidade está presente nos artigos que passamos agora para você, leitor, esperando que a leitura seja agradável e que a Areté seja em 2016 a sua revista de cabeceira. Por fim, agradecemos aos revisores e autores pela colaboração com nossa Revista. Boa Leitura!

    O Comitê Editorial

  • v. 8 n. 17 (2015)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.8 – № 17 – (2015)
    APRESENTAÇÃO

    A Revista Areté, neste número, traz significativos artigos que extrapolam as fronteiras da nossa região, evidenciando não só que ampliamos o nosso leque de atuação, mas também que a ciência não se sustenta com limites geográficos.

    A lista é, sem duvida, extensa, mas não se trata só de quantidade, pois a qualidade está presente nos artigos que passamos agora para você, leitor, esperando que a leitura seja agradável e que a Areté seja em 2016 a sua revista de cabeceira. Boa Leitura!

    O Comitê Editorial

  • v. 8 n. 16 (2015)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.8 – № 16 – (2015)

    Apresentação Neste volume a Revista Areté apostou na didática das ciências e trás vários artigos abordando as questões metodológicas e estratégias de ensino com vistas à melhoria do processo de Educação em Ciências.

    Um volume rico, em que se pode observar certa unidade na diversidade, pois todos os autores têm um objetivo subjacente, um fio condutor, norteador de suas ações: a melhoria da educação em ciências em nosso pais. Vale a pena conferir.

    Boa leitura!

    O Comitê Editorial

  • Número Especial
    v. 8 n. 15 (2015)

    REVISTA ARETÉ Vol.8 – № 15 – (2015) – Número especial
    Apresentação

    Este número especial da revista Areté contempla artigos relacionados a trabalhos apresentados durante o IV SIMPÓSIO EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA/SECAM e IX SEMINÁRIO DE ENSINO DE CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA ocorrido entre os dias 07 e 10 de outubro de 2014, na cidade de Manaus na Escola Normal Superior da Universidade do Estado do Amazonas. A seleção dos trabalhos foi feita pelo Comitê Científico do evento e pelo Comitê Editorial da Revista Areté. O IV SECAM, edição 2014 teve como tema “Educação em ciências: ciência, sociedade e cidadania” que possibilitou a apresentação de um conjunto de experiências de diálogos sobre o ensino de ciências na Amazônia, com ênfase na relação Ciência, sociedade e cidadania. Neste número, publicamos 19 artigos científicos assinados por autores diversos que buscaram durante o simpósio comunicar múltiplos saberes a seus pares. A participação no SECAM tem sido significativa e constitui um marco significativo em nosso Programa de Mestrado em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia, não só pela contribuição aos alunos e professores da escola pública, mas também pela vasta produção e visibilidade cientifica. Boa leitura.

    O Comitê Editorial

  • v. 7 n. 14 (2014)

    REVISTA ARETÉ (Manaus) Vol.7 – № 14 – (2014)


    Apresentação Neste número, publicamos 19 artigos científicos assinados por autores diversos que buscaram nossa revista para comunicar múltiplos saberes a seus pares. A procura tem sido significativa e muitos não foram contemplados, não por falta de aceitação de seus artigos, mas por falta de espaço editorial. Isso evidencia o quanto crescemos em termos de penetração da revista no seio da comunidade cientifica, o que nos orgulha muito, pois estamos quebrando o velho paradigma do isolamento cientifico e mostrando ao mundo que também produzimos, mesmo com um numero bem menor de mestres e doutores, principalmente se comparado a outras regiões do país que sempre foram mais contempladas com os fomentos dedicados à pesquisa. Temos mantido a periodicidade e com esse número fechamos 2014, um ano muito produtivo para o Programa de Pós-graduação em Educação e Ensino de Ciência na Amazônia, com a difusão de trabalhos que são frutos do nosso Programa e de outros que reconhecem a Areté como um espaço sério e comprometido com a comunicação cientifica. O leitor irá se deparar com artigos relacionados ao contexto da descoberta e outros ao contexto da justificação, mas entendemos que eles estão imbricados e como tal conferem unidade na diversidade. Não podemos esquecer que a variedade de olhares, de matizes e de percepções da realidade faz com que a ciência não assine a verdade absoluta. A ciência vive das incertezas, dos questionamentos, das dúvidas e isso faz dela um dos mais fascinantes empreendimentos humanos.Boa leitura!

    O Comitê Editorial

  • v. 7 n. 13 (2014)

    REVISTA ARETÉ Vol.7 – № 13 – (2014)


    Apresentação A Revista ARETÊ v.7, n.13 chega até você, trazendo vários artigos de pesquisadores nacionais e locais que optaram em publicar conosco, evidenciando que nossa revista vem se legitimando não só como um veículo de credibilidade em Comunicação e Divulgação Científica na Amazônia, mas também como um espaço democrático capaz de aglutinar a produção cientifica de todos aqueles que se dedicam a Educação em Ciências.

    O Comitê Editorial

  • Número Especial
    v. 7 n. 12 (2014)

    REVISTA ARETÉ Vol.7 – № 12 – (2014) – Número especial
    Apresentação
    Este número especial da revista Areté contempla artigos relacionados ao Projeto de Pesquisa intitulado “O Campo Interdisciplinar entre Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Naturais na Educação Básica, especificamente no 9º ano, em uma escola Pública de Manaus”. Programa que recebeu incentivo da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira), atrelado ao Observatório Nacional da Educação, denominado carinhosamente pela equipe de pesquisadores de POE.
    O referido projeto foi coordenado pelo Professor Doutor Amarildo Meneses Gonzaga, assessorado pela Professora doutora Ierecê dos Santos Barbosa, e desenvolvido em um prazo de três anos consecutivos, apresentando vários desdobramentos, dentre os quais destacamos vários subprojetos que culminaram em TCCs, Dissertações de Mestrado, uma Tese de Doutorado e um número significativo de livros, capítulos de livros e artigos publicados não só em eventos da área, mas também em revistas cientificas.
    Vale ressaltar que todos os artigos desta edição são inéditos e encerraram as atividades do POE, abrindo outros caminhos pelos questionamentos que suscitam, levando-nos a refletir sobre o desafio de se fazer ciência e produzir conhecimento na Amazônia.
    São treze artigos que versam sobre diálogos interdisciplinares, jogos como estratégia interdisciplinar, jogos didáticos, competência escritora, mapas conceituais, competência leitora, sala interdisciplinar, uso de redes sociais como recurso didático, laboratório móvel, uso de Blog no ensino de ciências, perfil dos frequentadores que curtem a Fan Page do POE, o processo de comunicação cientifica e por fim a avaliação psicopedagógica das estratégias do POE.
    A variedade de temáticas atesta a abrangência do projeto de pesquisa e legitima os desdobramentos que falamos anteriormente. Um projeto que marcou presença numa escola pública de Manaus, disse a que veio, e que nos assustou quando por ocasião da avaliação, pois trabalhando cotidianamente durante três anos, não nos demos conta da grandiosidade da produção dos pesquisadores do POE.
    Apresentamos, a você leitor, um número especial de nossa revista, em reconhecimento a um projeto que foi um marco em nosso Programa de Mestrado em Educação em Ciências na Amazônia, não só pela contribuição aos alunos e professores da escola pública, mas também pela vasta produção e visibilidade cientifica. Boa leitura.
    O Comitê Editorial

  • v. 6 n. 11 (2013)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.6 – № 11 – (2013)

     Apresentação

    Diante das profundas transformações operadas no âmbito da sociedade brasileira observamos que circula nos espaços sociais das instituições democráticas a preocupação de garantir efetiva participação da população não só aos bens de consumo necessários a manutenção da vida, mas também o acesso à produção do conhecimento e a usufruir dos benefícios advindos da ciência e da tecnologia. Isso faz com que as instituições de ensino sejam convidadas a contribuírem mais efetivamente não só com a divulgação cientifica, ampliando suas atividades no que tange a utilização de espaços não formais, laboratórios vivos, que proporcionam amplas possibilidades de ações educativas, mas também com o respeito aos olhares focados oriundos das diversas áreas do saber.

    Neste número, a Revista Areté evidencia a sua cultura de respeito à diversidade, pois embora haja um fio condutor nos artigos ora publicados que garante a unidade, todos tem como base a Educação em Ciências, o que pode ser observado através dos diferentes matizes que dão vida e cor ao se estudar, compreender, produzir e ensinar Ciências na Amazônia.

    A diversidade do olhar abriu espaço para: a discussão da utilização dos espaços não formais em várias vertentes; a divulgação do conhecimento cientifico em anúncios publicitários; a percepção de erotismo e sexualidade Kambeba, bem como a sua concepção de ciências ; a contemplação da Matemática  por outros  ângulos;  os desafios da ciência e tecnologia;  o currículo com destaque  para a via das diferenças e práticas pedagógicas; a questão da  didática  presente em um estudo sobre a ótica; a Filosofia e Física dialogarem e o Circuito da  Ciência do Instituto de Pesquisa  na Amazônia –INPA figurar atrelado a alfabetização científica. Temos ainda um resumo que versa sobre uma proposta de webdesign para esta revista e uma resenha que analisa o uso de textos populares como metodologia de ensino para a escrita cientifica.

    Como o leitor pode verificar caminhamos rumo à consolidação de um fazer cientifico flexível, aberto, pautado no profundo respeito à diversidade e a liberdade de pensar e produzir conhecimento na Amazônia. Acreditamos que os textos selecionados fornecem não só subsídios para a formulação de novos problemas de pesquisa, mas também contribuem para o reconhecimento da diversidade cientifica, figurando como leitura indispensável a todos que se interessam pela produção do conhecimento nesta área.

    O Comitê Editorial

  • v. 6 n. 10 (2013)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.6 – № 10 – (2013)

    Apresentação

     O que o leitor poderá encontrar no respectivo volume da Revista Areté? Antes de responder a esta pergunta, vale ressaltar que é um volume que incita os leitores de questões emergentes centradas na Educação em Ciências a refletirem sobre o Currículo e a Coginição. Trata de um conjunto de textos resultantes da mobilização de pesquisadores preocupados com temáticas relativas a especificidades referentes à reestruturação curricular, ao ensino e à aprendizagem, imbricadas a situações específicas do contexto amazônico, prioritariamente.

    Por que vale a pena debruçar-se na leitura desse volume da Revista Areté? Porque as temáticas são tratadas a partir de uma abordagem atual, deixando vir à tona resultados de vivências e experiências decorrentes de situações de ensino e aprendizagem que não servem de modelos, mas de referenciais norteadores para reflexões inerentes ao cotidiano do trabalho pedagógico do professor que está preocupado com os desafios enfrentados no ambiente escolar.

    Que temáticas poderão ser exploradas pelo leitor nesse volume da Revista Areté? São temáticas variadas sobre questões investigativas relacionadas à Educação em Ciências, que vão desde as “Condições de ensino em Zoologia no nível fundamental: o caso das escolas municipais de Manaus-AM”; “A Interdisciplinaridade no desenvolvimento da competência leitora e escritora: uma experiência no Observatório Nacional da Educação/Capes/UEA”; “ A educação científica na educação infantil”; “A escola de arte do boi caprichoso cenário da cultura infantil no universo amazônico”; “As implicações da teoria de Carl Ransom Rogers para a educação em ciências”; “Processos cognitivos: considerações acerca das dificuldades de aprendizagem”; “O portfólio como estratégia de ensino-aprendizagem no ensino de ciências em um processo interdisciplinar com estudantes do 6º ano do ensino fundamental.” Além das temáticas investigativas mencionadas, vale ressaltar o incremento que foi dado aos seguintes relatos de experiência: “O estágio docência na formação do mestre em Ensino de Ciências na Amazônia: relato de experiência”; “Ensinando as leis de Newton por meio de recursos midiáticos e de recursos experimentais”; “Estudo de caso sobre a degradação do ecossistema no igarapé Pricumã, com alunos do ensino fundamental”.

    Decorrente do exposto, resta ao leitor comprovar as observações aqui apresentadas, através de uma boa leitura.

     Comitê Editorial

  • v. 5 n. 9 (2012)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.5 – № 9 – (2012)

     Apresentação

     A Revista ARETÉ, com mais esse número publicado, procura dar sua contribuição para a história da Educação em Ciências na Amazônia. O que segue, na condição de produção científica, resulta de estudos sobre questões emergentes relacionadas à problemática do ensino, principalmente no que tange à realidade da escola pública local e regional.

    Na maioria dos trabalhos aqui sistematizados, é possível encontrar investigações concernentes a situações de aprendizagem que refletem a realidade da sala de aula local, em distintos aspectos.

    Também é possível encontrar investigações sobre fenômenos que procuram elucidar trajetórias formativas de estudantes e professores de ciências em diferentes perspectivas, evidenciando o quanto é imprescindível trazer à tona possibilidades e expectativas capazes de servirem de referenciais norteadores para o incremento do cotidiano escolar.

    Esperamos que o leitor possa fazer um bom proveito das contribuições aqui apresentadas.

     

    O Comitê Editorial

  • v. 5 n. 8 (2012)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.5 – №8 – (2012)

    Apresentação

     Caminheiro, não existe caminho. O caminho se faz no próprio caminhar. Assim, parafrasendo Antônio Machado (poeta e filósofo espanhol), queremos trazer ao leitor como está se dando o processo de consolidação da divulgação científica dos produtos, oriundos dos processos investigativos legitimadores da educação científica no contexto amazônico.

    É um caminho que se faz no próprio caminhar porque não existe uniformidade no que se apresenta, em termos de conteúdos, nos produtos científicos que fazem parte desta edição. Cada texto caracteriza uma trajetória investigativa singular, que evidencia aspectos da diversidade das histórias de cada um dos respectivos autores.

    Do que podemos encontrar dos caminhos percorridos pelos caminheiros-pesquisadores? Muitos feitos capazes de nos levar à reflexão sobre o sentido que precisamos dar à educação cientifica em suas múltiplas possibilidades de legitimação, considerando a sua intencionalidade maior: utilizá-la na contribuição para a humanização da sociedade em que vivemos.

    Que os percursos feitos por esses caminheiros que deixaram nesta edição suas pegadas possam contribuir para que surjam novos caminheiros dispostos a fazer novos percursos, redimensionando suas histórias e difundindo a ciência, conforme os anseios e necessidades não somente de quem a compreende e dela faz uso, mas também daqueles que dela precisam, sem saber o seu real sentido.

     O Comitê editorial

  • v. 4 n. 7 (2011)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.4 – №7 – (2011)

    Apresentação

     Mais uma vez nos encontramos para celebrar outro momento oriundo do processo de construção do conhecimento de colaboradores da Revista Areté. Nessa edição, procuramos respeitar a diversidade de posicionamentos a respeito de temáticas centradas em questões emergentes relacionadas à Educação em Ciências que, no seu desdobramento, podemos chamá-la de Educação Científica.

    Na seleção dos artigos, nossa intenção foi buscar alternativas legitimadoras da dimensão processual que caracteriza o sentido dado ao que chamamos de educação científica. Assim nos posicionamos porque a ciência, a partir de suas múltiplas perspectivas e possibilidades de ressignificação no processo de construção do conhecimento, merece ganhar sentido a partir da intencionalidade dada àquele no próprio exercício da cidadania, de acordo com as múltiplas circunstâncias possíveis de ser evidenciadas.

    Precisamos, assim como fizeram os autores dos trabalhos científicos desta edição, continuar contribuindo para que, a partir do exercício da produção e sistematização do conhecimento, venham à tona reflexões que nos levem à disciplina, à autonomia, à solidariedade e a criação de alternativas e possibilidades de sermos e fazermos os outros felizes.

    Tomando como base o exercício da leitura desses artigos, que aprendamos, a partir do proposto que, nas vias dos percursos investigativos, as interações necessárias e recorrentes não podem ficar restritas apenas à intencionalidade do pesquisador. E que aprendamos, acima de tudo, o seguinte: “na apreensão da compreensão é que a história surge, nos diferentes momentos, em que os ventos da vida, nos induzem a esquecer, o sentido do tempo”.

    O Comitê editorial

  • v. 4 n. 6 (2011)

    REVISTA ARETÉ

    Apresentação - Vol.4 – №6 – (2011)

    Um novo tempo, construído a partir de vivências e experiências de muitos que estão e de outros que se foram em percursos diferenciados que coadunam para um único ponto: a formação de pessoas que precisam construir uma sociedade mais humana a partir e para a Ciência. É assim que nos posicionamos neste momento, e que nos dedicamos a esta edição da Revista Areté, do Programa de Pós-Graduação em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia, da Universidade do Estado do Amazonas (PPGEEC/UEA).

    A Revista Areté, cujo propósito maior incide em, acima de tudo, servir de canal de divulgação científica das produções de pesquisadores sobre questões educacionais, nesta edição, apresenta produtos, decorrentes de processos investigativos, para que os diferentes pares das comunidades científicas dialoguem com os seus interlocutores. Dentre eles estão dez autores que, ao terem seus trabalhos submetidos pelo Comitê Científico, contribuem para a legitimação da tradição da Ciência em ambientes acadêmicos e escolares.

    Os cinco primeiros artigos desta edição são de caráter bibliográfico, que vão desde reflexões sobre pressupostos filosóficos que sustentam as bases do processo de construção do conhecimento nas ciências, a discussões específicas sobre posicionamentos de teóricos a respeito de determinados temas específicos da Educação em Ciências.

    O sexto, sétimo, oitavo, novo e décimo artigos tratam de pesquisas sobre questões específicas relacionadas a disciplinas também específicas que legitimam a Área 46 (Ensino de Ciências e Matemática), e da Área de Educação.

    Com esse propósito, esperamos que os leitores apreciem as obras e que aquelas possam contribuir significativamente para suas respectivas formações acadêmicas.  

     

  • v. 3 n. 5 (2010)

    REVISTA ARETÉ (Manaus)

     Vol.3 – № 5 – (2010)

     APRESENTAÇÃO

    É com imensa satisfação que a Universidade do Estado do Amazonas - UEA disponibiliza o quinto número da revista eletrônica ARETÉ, editada pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências na Amazônia, pertencente à Escola Normal Superior – ENS. Renomados autores locais, nacionais e internacionais nos deram o
    prazer e o privilégio de colaborarem com seus textos, demonstrando o quanto o trabalho de todos aqueles que se empenharam para que o referido programa se concretizasse está sendo valorizado.

    ARETÉ, que significa virtude em grego, nasceu com uma proposta editorial independente, aberta as todas as tendências investigativas contemporâneas atreladas ao Ensino de Ciências. Como Ciência e Tecnologia caminham juntas, este é mais um espaço para divulgar os resultados de pesquisas científicas e,  consequentemente, seus frutos tecnológicos.
    A diversidade e o caráter vivo que marcam os textos aqui apresentados são os traços marcantes de ARETÉ e da política de pós-graduação da Universidade do Estado do Amazonas – UEA, um dos pilares fundamentais do desenvolvimento científicotecnológico.

    Os textos publicados nesta edição evidenciam a construção de vários pesquisadores, na qual o eixo do  progresso científico cruza com os das necessidades sociais, evidenciando que o Ensino de Ciências é também uma ação interpessoal, intencional e flexível, conectada ao seu contexto social mais amplo. Esperamos estar contribuindo para a melhoria do processo ensino-aprendizagem em Ciências não só em nossa região amazônica, mas como em todo nosso imenso Brasil.
    Bem vindo ao futuro, com ARETÉ, e boa leitura!

    Atenciosamente,
    Josefina Barrera Kalhil

  • v. 2 n. 4 (2009)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.2 – №4 – (2009)

    Apresentação

    É com imensa satisfação que a Universidade do Estado do Amazonas - UEA disponibiliza o quarto número da revista eletrônica ARETÉ, editada pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências na Amazônia, pertencente à Escola Normal Superior – ENS.

    Renomados autores locais, nacionais e internacionais nos deram o prazer e o privilégio de colaborarem com seus textos, demonstrando o quanto o trabalho de todos aqueles que se empenharam para que o referido programa se concretizasse está sendo valorizado.
    ARETÉ, que significa virtude em grego, nasceu com uma proposta editorial independente, aberta as todas as tendências investigativas contemporâneas atreladas ao Ensino de Ciências. Como Ciência e Tecnologia caminham juntas, este é mais um espaço para divulgar os resultados de pesquisas científicas e, consequentemente, seus frutos tecnológicos.
    A diversidade e o caráter vivo que marcam os textos aqui apresentados são os traços marcantes de ARETÉ e da política de pós-graduação da Universidade do Estado do Amazonas – UEA, um dos pilares fundamentais do desenvolvimento científico-tecnológico.
    Os textos publicados nesta edição evidenciam a construção de vários pesquisadores, na qual o eixo do progresso científico cruza com os das necessidades sociais, evidenciando que o Ensino de Ciências é também uma ação interpessoal, intencional e flexível, conectada ao seu contexto social mais amplo.
    Esperamos estar contribuindo para a melhoria do processo ensino-aprendizagem em Ciências não só em nossa região amazônica, mas como em todo nosso imenso Brasil.
    Bem vindo ao futuro, com ARETÉ, e boa leitura!

    Atenciosamente,
    Josefina Barrera Kalhil
    Editora da Revista Areté

  • v. 2 n. 3 (2009)

     REVISTA ARETÉ

    Vol.2 – №3 – (2009)

    Apresentação

    É com imenso prazer que apresentamos esta edição da Revista Areté, pois ela nos presenteia com alguns estudos em Ensino de Ciências na Amazônia e que foram apresentados em forma de Painéis no III SECAM – III Seminário em Ensino de Ciências na Amazônia. O objetivo do III SECAM foi promover a reflexão e o debate sobre os avanços do Ensino e da Pesquisa como Fundamentos para o desenvolvimento da Educação em Ciências na Amazônia. O público-alvo foram os professores das redes públicas e privadas das escolas de Educação Básica do estado do Amazonas, estudantes de graduação e pós-graduação em Ensino de Ciências (Física, Química, Biologia) e Matemática. A apresentação de trabalhos se deu de duas formas: Apresentação em Salas Temáticas e Apresentação de Painéis. O III SECAM teve carga horária de 24 h e foi de âmbito internacional.
    Esperamos estar contribuindo para a melhoria do processo ensino-aprendizagem em Ciências não só em nossa região amazônica, mas como em todo nosso imenso Brasil.
    Bem vindo ao futuro, com ARETÉ, e boa leitura!

    Atenciosamente,
    Josefina Barrera Kalhil
    Editora da Revista Areté

  • v. 2 n. 2 (2008)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.2 – №2 – (2008)

    Apresentação

    É com imensa satisfação que a Universidade do Estado do Amazonas - UEA disponibiliza o segundo número da revista eletrônica ARETÉ, editada pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências na Amazônia,  pertencente à Escola Normal Superior – ENS.

    Renomados autores locais, nacionais e internacionais nos deram o prazer e o privilégio de colaborarem com seus textos, demonstrando o quanto o trabalho de todos aqueles que se empenharam para que o referido programa se concretizasse está sendo valorizado. ARETÉ, que significa  virtude em grego, nasceu com uma proposta editorial independente, aberta as todas as tendências investigativas contemporâneas atreladas ao Ensino de Ciências. Como Ciência e Tecnologia caminham juntas, este é mais um espaço para divulgar os resultados de pesquisas científicas e, consequentemente, seus frutos tecnológicos.

    A diversidade e o caráter vivo que marcam os textos aqui apresentados são os traços marcantes de ARETÉ e da política de pós-graduação da Universidade do Estado do Amazonas – UEA, um dos pilares fundamentais do desenvolvimento científico-tecnológico.

    Os textos publicados nesta edição evidenciam a construção de vários pesquisadores, na qual o eixo do progresso científico cruza com os das necessidades sociais, evidenciando que o Ensino de Ciências é também uma ação interpessoal, intencional e flexível, conectada ao seu contexto social mais amplo.

    Esperamos estar contribuindo para a melhoria do processo ensino-aprendizagem em Ciências não só em
    nossa região amazônica, mas como em todo nosso imenso Brasil.
    Bem vindo ao futuro, com ARETÉ, e boa leitura!

    Atenciosamente,
    Josefina Barrera Kalhil
    Editora da Revista Areté

     

  • v. 1 n. 1 (2008)

    REVISTA ARETÉ

    Vol.1 – №1 – (2008)

    Apresentação

    É com imensa satisfação que a Universidade do Estado do Amazonas - UEA disponibiliza o primeiro número da revista eletrônica ARETÉ, editada pelo Programa de Pós-graduação em Ensino de Ciências na Amazônia, pertencente à Escola Normal Superior – ENS.
    Renomados autores locais, nacionais e internacionais nos deram o prazer e o privilégio de colaborarem com seus textos, demonstrando o quanto o trabalho de todos aqueles que se empenharam para que o referido programa se concretizasse está sendo valorizado.
    ARETÉ, que significa virtude em grego, nasceu com uma proposta editorial independente, aberta as todas as tendências investigativas contemporâneas atreladas ao Ensino de Ciências. Como Ciência e Tecnologia caminham juntas, este é mais um espaço para divulgar os resultados de pesquisas científicas e, consequentemente, seus frutos tecnológicos.
    A diversidade e o caráter vivo que marcam os textos aqui apresentados são os traços marcantes de ARETÉ e da política de pós-graduação da Universidade do Estado do Amazonas – UEA, um dos pilares fundamentais do desenvolvimento científico-tecnológico.
    Os textos publicados nesta edição evidenciam a construção de vários pesquisadores, na qual o eixo do progresso científico cruza com os das necessidades sociais, evidenciando que o Ensino de Ciências é também uma ação interpessoal, intencional e flexível, conectada ao seu contexto social mais amplo.
    Esperamos que essa publicação, que inicia seus primeiros passos auxilie os leitores na formação do pensar reflexivo e fomente a sustentação do discurso científico no âmbito acadêmico e fora dele, no momento em que a Ciência ilumina alguns esconderijos do tempo.

    Esperamos estar contribuindo para a melhoria do processo ensino-aprendizagem em Ciências não só em nossa região amazônica, mas como em todo nosso imenso Brasil.
    Bem vindo ao futuro, com ARETÉ, e boa leitura!

    Atenciosamente,
    Josefina Barrera Kalhil
    Editora da Revista Areté

1 a 22 de 22 itens