LINGUAGEM CIENTÍFICA: O PARADOXO CONTEMPORÂNEO

  • Will Fadul de Oliveira
  • Josefina Kalhil

Resumo

Áttico Inácio Chassot, pesquisador brasileiro, químico de formação, mestre em ciências, doutor
e pós-doutor em educação aparece no cenário brasileiro e internacional com preocupações e
pesquisas voltadas para a área do ensino de ciências, educação, pós-modernidade, ética, cultura
popular e da abstração da alfabetização científica por parte da população como uma linguagem,
que se torna necessária como efetivo exercício de potencialidades em detrimento às
necessidades do mundo pós-moderno, onde os produtos e processos não coexistem em
verdadeira correspondência. Onde a sociedade da imagem e do prazer, da compra, da
tecnologia em chips, do audiovisual, da moda e da ágil informação transformam a educação, o
ensino e as práticas sociais de acordo com a necessidade do sistema político vigente e do poder
de transposição de uma ideologia dominante. Suas pesquisas sobre alfabetização científica
apontam a uma referência de que sendo os homens e mulheres alfabetizados cientificamente,
estariam eles aptos a viverem melhor e de forma mais consciente nessa miscelânea cultural
globalizante.

Publicado
2017-05-10
Como Citar
DE OLIVEIRA, Will Fadul; KALHIL, Josefina. LINGUAGEM CIENTÍFICA: O PARADOXO CONTEMPORÂNEO. Revista Areté | Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [S.l.], v. 2, n. 2, p. 256-263, maio 2017. ISSN 1984-7505. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/312>. Acesso em: 17 out. 2019.
Seção
Artigos