QUANDO O ENSINO E APRENDIZAGEM EM CIÊNCIAS SÃO ATRAVESSADOS PELO ACONTECIMENTO: NOVAS MODULAÇÕES, NOVOS PROBLEMAS

  • Maria de Brito
  • Maria Ramos

Resumo

Mesmo em uma prática de ensino ainda preocupada com modelos e formas determinadas como esforço de controlar o aprender e o ensinar, a educação escapa, faz seus vazamentos pelas vias não protocolares. A pesquisa objetiva movimentar a ideia de possibilidade de um ensino de ciências pelo acontecimento inventivo. Trabalha com o referencial teórico de Gilles Deleuze e Félix Guattari e faz estudos empíricos em um Clube de Ciências do município de Breves, no Estado do Pará. Elege a narrativa de três professores a respeito de suas práticas educacionais realizadas no Clube de Ciências de Breves. Como resultado, mostra um ensino e uma aprendizagem em ciências para além das práticas mecanicistas, estruturalistas para reconhecer que no processo educativo, na ação de ensinar e de aprender, há um vazamento, aquilo que escapa o que não está na ordem do controle do professor e nem do aluno. Sendo assim, há um movimento, por vias do acontecimento, forjando singularidades que arrastam a prática do ensino de ciências por vias inventivas.

Publicado
2017-05-02
Como Citar
DE BRITO, Maria; RAMOS, Maria. QUANDO O ENSINO E APRENDIZAGEM EM CIÊNCIAS SÃO ATRAVESSADOS PELO ACONTECIMENTO: NOVAS MODULAÇÕES, NOVOS PROBLEMAS. Revista Areté | Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [S.l.], v. 7, n. 13, p. 170-180, maio 2017. ISSN 1984-7505. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/112>. Acesso em: 13 dez. 2019.
Seção
Artigos