TRAVESSIA NOS MÚLTIPLOS MODOS DE VER A AMAZÔNIA

  • Caroline Barroncas de Oliveira UEA
  • Mônica de Oliveira Costa UEA

Resumo

Este artigo tem como objetivo refletir sobre a experiência de um processo formativo com professoras de uma escola pública de Manaus. Nossa intenção é dar visibilidade para os (des)caminhos metodológicos da investigação e (des)ajustes que atenderam às escolhas filosóficas/políticas das autoras. Este trabalho está vinculado à uma pesquisa que busca problematizar a multiplicidade de discursos sobre a Amazônia. Nesse recorte, a partir da demarcação teórica enamorada de Michel Foucault, narramos as descrições dos deslocamentos nos modos de ver a Amazônia. É uma tentativa de desnaturalizar verdades e problematizar as ideias dos professores da rede pública de Manaus e os atravessamentos dessas nos discursos midiáticos, literários e educacionais sobre a Amazônia. Mais do que apresentar Amazônias inventivas, concluímos que a experimentação mobilizou professoras e pesquisadoras a discutirem modos de condução de processos formativos que se distanciem da reprodução, cópia e modelo.

Publicado
2019-07-22
Como Citar
OLIVEIRA, Caroline Barroncas de; COSTA, Mônica de Oliveira. TRAVESSIA NOS MÚLTIPLOS MODOS DE VER A AMAZÔNIA. Revista Areté | Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [S.l.], v. 11, n. 24, p. 166-182, jul. 2019. ISSN 1984-7505. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/1541>. Acesso em: 05 dez. 2019.
Seção
Artigos