CONTRIBUIÇÕES FILOSÓFICAS DO CONCEITO DE TEMPO PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA ANÁLISE DA REPRESENTAÇÃO DE TEMPO EM LICENCIANDOS DE QUÍMICA E BIOLOGIA

  • Verônica Klepka
  • Rosana Leite
  • Rosana Leite
  • Valdeni Franco

Resumo

Ciência e filosofia buscam explicar, cada uma a seu modo, como interpretam o tempo. A primeira considera o tempo interligado ao espaço, enquanto a segunda retira-o dessa relação. Enquanto uma o calcula, a outra o personifica. Diferentes representações também podem ser vistas na prática diária das ciências. A representação social do conceito de tempo é algo em constante transição uma vez que basta uma mudança de interpretação para haver uma nova representação sobre o mesmo objeto. Para investigar qual o entendimento desse termo, e, por conseguinte, quais as possíveis relações estabelecidas no ensino de ciências, o presente artigo buscou identificar as representações de tempo de 10 (dez) licenciandos, sendo 6 (seis) de Química e 4 (quatro) de Biologia de duas universidades do Norte do Paraná. A coleta de dados foi realizada mediante questionário estruturado, e a análise submetida aos pressupostos da análise de conteúdo proposta por Bardin (1977). Observou-se que são inúmeras as representações sobre o conceito de tempo, entretanto, os licenciandos de química e biologia estão mais expostos ao conceito enquanto uma variável muitas vezes medindo, controlando, escravizando suas vidas ou seu trabalho.

Publicado
2017-05-03
Como Citar
KLEPKA, Verônica et al. CONTRIBUIÇÕES FILOSÓFICAS DO CONCEITO DE TEMPO PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS: UMA ANÁLISE DA REPRESENTAÇÃO DE TEMPO EM LICENCIANDOS DE QUÍMICA E BIOLOGIA. Revista Areté | Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [S.l.], v. 7, n. 14, p. 43-57, maio 2017. ISSN 1984-7505. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/124>. Acesso em: 17 out. 2019.
Seção
Artigos