REDES DE SUSTENTABILIDADE: GESTÃO TERRITORIAL E DIÁLOGOS INTERCULTURAIS NO RIO NEGRO-AM / Sustainability networks: territorial management and intercultural dialogues in the Rio Negro - AM

  • Jocilene da Cruz
  • Henrique Pereira

Resumo

A região do rio Negro, aqui delimitada como a área de atuação do movimento indígena e da Federação das Organizações indígenas do Rio Negro (FOIRN), abrange os municípios de Barcelos, Santa Isabel do Rio Negro e São Gabriel da Cachoeira – onde vivem cerca de 30 povos indígenas, pertencentes a quatro famílias linguísticas: Tukano Oriental, Aruak, Maku e Yanomami. As análises neste artigo referem-se às estratégias adotadas pelo movimento indígena, por meio da FOIRN, no processo de gestão territorial/cultural, dando-se ênfase às ações visando à sustentabilidade dos territórios indígenas dessa região. Os dados foram obtidos mediante pesquisa qualitativa, fazendo-se uso da observação participante e entrevistas semiestruturas. Os resultados mostram que a gestão territorial feita pelo movimento indígena se constrói por meio de uma rede de relações sociais – entre os povos indígenas entre si, e entre estes e os não indígenas. Uma relação dinâmica, permeada por reelaborações culturais e diálogos interculturais, num processo de alianças e negociações, aliando os conhecimentos da cultura indígena e os da cultura ocidental, a exemplo do uso das tecnologias de informação e comunicação

Publicado
2017-05-09
Como Citar
DA CRUZ, Jocilene; PEREIRA, Henrique. REDES DE SUSTENTABILIDADE: GESTÃO TERRITORIAL E DIÁLOGOS INTERCULTURAIS NO RIO NEGRO-AM / Sustainability networks: territorial management and intercultural dialogues in the Rio Negro - AM. Revista Areté | Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [S.l.], v. 10, n. 21, p. 23-37, maio 2017. ISSN 1984-7505. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/265>. Acesso em: 13 dez. 2019.