QUANDO A EDUCAÇÃO “CIVILIZA”: CIÊNCIA AGRONÔMICA E ENSINO NO PROJETO DE CRIAÇÃO DA ESCOLA RURAL PEDRO II (PARÁ, ANOS DE 1860)

  • Francivaldo Nunes

Resumo

A proposta deste texto é analisar o processo de implantação da escola rural D. Pedro II, estabelecida na fazenda provincial Pinheiro, nas proximidades de Belém, evidenciando sua importância, quando se tratava do desenvolvimento e futuro próspero da agricultura na região amazônica, considerando a promoção do ensino rural e das ciências agronômicas. Esta instituição de ensino marcava um embate entre as ações costumeiras dos colonos e os discursos de civilidade empreendidos pelo governo provincial, que tinha na própria estrutura administrativa da escola seus representantes mais diretos. Estas questões a serem desveladas, se constituem, portanto, como necessariamente importante para entendermos o processo de formação de um discurso que apresenta a educação vinculada ao conhecimento da ciência como estratégia de civilizar as populações rurais amazônicas. Palavras-Chave: Escola do Campo. Pará. Século XIX.

Publicado
2017-05-03
Como Citar
NUNES, Francivaldo. QUANDO A EDUCAÇÃO “CIVILIZA”: CIÊNCIA AGRONÔMICA E ENSINO NO PROJETO DE CRIAÇÃO DA ESCOLA RURAL PEDRO II (PARÁ, ANOS DE 1860). Revista Areté | Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [S.l.], v. 7, n. 14, p. 170-181, maio 2017. ISSN 1984-7505. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/134>. Acesso em: 19 nov. 2019.
Seção
Artigos