UM OUTRO SENSO COMUM: PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS ENTRE OS RIBEIRINHOS DO BAIXO AMAZONAS

  • Deise Nilciane Ferreira de Souza UFAM

Resumo

A reflexão exposta neste trabalho problematiza a noção de senso comum em seus aspectos epistemológicos e culturais como forma de interpretar a experiência socioambiental dos ribeirinhos no Baixo Amazonas e os simbolismos que cercam suas práticas com base em práticas associativas de saberes e conhecimentos que são resultado da dinâmica de vivência na relação com rios, florestas e ambientes urbanos. Destaca-se nessa vivência as relações de poder, resultado de uma teia complexa que envolve os discursos conservacionistas, a valorização dos saberes ribeirinhos e suas práticas ressignificadas.  Evidenciaremos algumas dessas práticas como desdobramento de uma visão sobre o ambiente para demonstrar para além dos discursos de conservação que estas práticas estão imbuídas de uma rede de simbolismos reproduzidas nas suas vivências, que vamos chamar de um novo senso comum.

Publicado
2018-12-28
Como Citar
SOUZA, Deise Nilciane Ferreira de. UM OUTRO SENSO COMUM: PRÁTICAS SOCIOAMBIENTAIS ENTRE OS RIBEIRINHOS DO BAIXO AMAZONAS. Nova Hileia | Revista Eletrônica de Direito Ambiental da Amazônia. ISSN: 2525 – 4537, [S.l.], v. 3, n. 1, dez. 2018. ISSN 2525-4537. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/novahileia/article/view/1268>. Acesso em: 21 nov. 2019.
Seção
Artigos