Escopo, Objetivos e Política Editorial

As normas editoriais da Nova Hileia: Revista de Direito Ambiental da Amazônia são as seguintes:

1. A revista é de periodicidade semestral, apresenta-se em formato eletrônico, observando o caráter de interdisciplinaridade, no que tange ao papel crítico do periódico. Utiliza-se o sistema ahead of print, ou seja, mesmo antes de finalizar o número as produções são pulicadas. Esta se constitui em um veículo para publicação de artigos, ensaios e resenhas críticas de livre circulação de ideias e opiniões sobre temas relacionados ao Direito e, especialmente, ao Direito Ambiental e seu aspecto interdisciplinar. É de inteira responsabilidade de seus autores as opiniões expressas nas publicações deste periódico. O período de submissão será de fluxo contínuo.

2. As seções da revista serão as seguintes: i. Artigos; ii. Ensaios; iii. Resenhas; iv. Resumos; v. Notas sobre legislação; vi. Eventos; vii. Notícias ou outras. A submissão de uma produção científica à nova Hileia, implica que a mesma não tenha sido publicada anteriormente e que não tenha sido enviada simultaneamente a outro periódico. Todos os trabalhos deverão ser inéditos e originais. Não serão aceitos trabalhos já publicados ou com plágio.

3. A área nuclear da revista é Direito, em especial Direito ambiental. No entanto, estimula-se fortemente a interdisciplinaridade e temas transversais que envolvam as seguintes subáreas: Sociologia; Antropologia; Ecologia; Biodiversidade; Bioética; Biossegurança; Defesa judicial do meio ambiente; Direito Ambiental; Direito Ambiental do Trabalho; Direito ambiental econômico e empresarial; Direito ambiental penal e processual penal; Direito ao desenvolvimento; Direito de águas; Direito dos povos indígenas e populações tradicionais; Direito e a Pan-Amazônia; Direito e Amazônia; Direito e Antropologia; Direito e Desenvolvimento sustentável; Direito e Pesca; Direito Educacional; Direito socioambiental; Direito, Patrimônio Cultural e Genético; Direitos sociais e políticas públicas; Ecoturismo; Educação ambiental; Espaço urbano; Mecanismos alternativos de resolução de conflitos; Meio ambiente e sustentabilidade; Recursos naturais; Sociedade Civil e efetivação do Direito Ambiental; Teoria Geral do Direito Ambiental; Unidades de conservação; Direitos difusos; Direito Internacional ambiental.

4. Os trabalhos podem ser redigidos em português, inglês ou espanhol. Nos artigos, deve-se obrigatoriamente apresentar resumo e palavras-chave em língua portuguesa, abstract e keywords em inglês.