O PENSAMENTO GEOPOLÍTICO DE GOLBERY DO COUTO E SILVA E OS POVOS TRADICIONAIS NA AMAZÔNIA: UMA RELAÇÃO TENSA

  • Henrique de Freitas Chimenes Gil USP

Resumo

A Amazônia representou para o pensamento geopolítico realizado dentro das Forças Armadas, um signo de preocupação e inquietação. Neste sentido, convém retomarmos a Geopolítica efetuada na caserna, e em que sentido ela se fez presente, nos projetos empreendidos pelo Estado brasileiro, especialmente durante o Regime Militar (1964-1985). Retomaremos os principais representantes desta “escola” de pensamento, dando ênfase a Golbery do Couto e Silva, Mário Travassos e Carlos de Meira Mattos, e como suas concepções referentes a Amazônia foram absorvidas em sucessivos empreendimentos naquela área. Por fim veremos, como as consequências desta Geopolítica se fizeram sentir no relacionamento com os povos tradicionais que habitam a floresta, que se tornaram cada vez mais difíceis, com os grandes projetos empreendidos pelos militares, a partir dos anos 1970, mas que se perpetua até a atualidade.

Publicado
2021-02-05
Como Citar
GIL, Henrique de Freitas Chimenes. O PENSAMENTO GEOPOLÍTICO DE GOLBERY DO COUTO E SILVA E OS POVOS TRADICIONAIS NA AMAZÔNIA: UMA RELAÇÃO TENSA. Revista Geopolítica Transfronteiriça, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 120-140, fev. 2021. ISSN 2527-2349. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/revistageotransfronteirica/article/view/2051>. Acesso em: 01 mar. 2021.
Seção
Artigos