OS BRUXOS DA LITERATURA: UM DIÁLOGO ENTRE MACHADO DE ASSIS E JORGE LUIS BORGES

  • Juliane de Sousa Elesbão UFRJ
  • Eduardo Chaves Ribeiro da Luz UFC

Resumo

Duas ficções que se tocam, dois escritores com pontos em comum. Assim constatamos com o escritor brasileiro Machado de Assis (1839-1908) e o escritor argentino Jorge Luis Borges (1899-1986), dois expoentes da literatura que universalizaram e consagraram sua arte literária. Com pontos coincidentes em suas narrativas e sutis diferenças gradativas de profundidade, incitaremos uma reflexão sobre o paralelo que traçamos entre o “Bruxo do Cosme Velho” e o “Viejo Brujo”, visto que estes representam fontes permanentes para todo aquele que, de uma forma ou de outra, busque a inteligência aplicada à arte literária. Debruçar-nos-emos, especialmente, em questões que envolvem o desenrolar da narrativa, a retomada de temas, a configuração dos personagens, a ambiguidade e a intertextualidade presente na escrita literária dos referidos escritores. Para este trabalho, pinçamos da rica e múltipla obra de Machado e de Borges dois contos, sobre os quais pretendemos estabelecer uma investigação comparativa. São eles: “Missa do Galo”, lançado em 1894, e “Ulrica”, publicado em 1975. Buscamos, assim, contribuir com algumas questões literárias mais amplas relativas aos dois escritores, cuja maestria no trato com a linguagem  literária, bem como na exploração da sua força mimética, possibilita aos leitores a prestigiosa tarefa de coproduzir os seus textos.

Publicado
2017-11-01
Como Citar
ELESBÃO, Juliane de Sousa; LUZ, Eduardo Chaves Ribeiro da. OS BRUXOS DA LITERATURA: UM DIÁLOGO ENTRE MACHADO DE ASSIS E JORGE LUIS BORGES. ContraCorrente | Revista de Estudos Literários e da Cultura, [S.l.], n. 9, nov. 2017. ISSN 2525-4529. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/contracorrente/article/view/731>. Acesso em: 13 dez. 2017.