AMAZÔNIA E MODERNISMO: MÁRIO DE ANDRADE “FORA DE SI”

  • Valéria Rosito UFRRJ

Resumo

Tanto os diários da viagem de Mário de Andrade à Amazônia de 1927, publicados sob o título Turista Aprendiz, quanto uma parcela das fotografias da mesma viagem, a maior parte das quais tiradas pelo próprio escritor, conjugam elementos ensaísticos complexos. Sua natureza verbo-imagética ilumina embates contemporâneos sobre as relações entre o local e o global, assim como o literário e o não-literário. Estas anotações exploram essa produção dupla do escritor no momento em que vanguardas e modernistas gestavam novas expressões do eu e da brasilidade em medidas sincrônicas de tempo.

Publicado
2017-05-22
Como Citar
ROSITO, Valéria. AMAZÔNIA E MODERNISMO: MÁRIO DE ANDRADE “FORA DE SI”. ContraCorrente: Revista do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, [S.l.], n. 7, p. 211-219, maio 2017. ISSN 2525-4529. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/contracorrente/article/view/570>. Acesso em: 17 out. 2019.