APARATO CRÍTICO – TRADUÇÃO DE ALGUNS TEXTOS DE AUTORES FUNDACIONAIS PARA OS ESTUDOS DA NEGRITUDE E AFRODIASPÓRICOS: FRANTZ FANON, LÉON-GONTRAN DAMAS E AIMÉ CÉSAIRE

  • Camila do Valle UFRJ

Resumo


Eis aqui textos que fazem parte incontornável da historiografia a respeito dos estudos da “negritude” ou, ainda, do que, arqueologicamente, na contemporaneidade, se avizinham de uma noção que poderia ser nomeada como afrodiaspórica. Segue, aos textos, uma foto do L'etudiant noir, o primeiro jornal feito por estudantes negros em Paris, em 1935, cujos editores, também poetas, cunharam o termo "negritude". São documentos históricos, inclusive, por serem contemporâneos das “Exposições universais” que se realizavam em Paris e outras capitais da Europa. Exposições nas quais os “outros” povos, “outros” em relação aos europeus, eram postos em exibição como “exóticos”, em um procedimento que, em tudo, pode ser descrito como um “zoo humano”. Em 2012, o Museu do Quai Branly realizou, em Paris, uma exposição sobre as “Exposições Universais”, na qual expunha criticamente os procedimentos utilizados. Também é muito importante ressaltar a antecipação, na carta de Frantz Fanon aqui apresentada, de questões que, mais tarde, farão parte central do projeto investigativo de Michel Foucault, que resultará, em especial, em seu paradigmático História da Loucura.


Publicado
2017-05-22
Como Citar
VALLE, Camila do. APARATO CRÍTICO – TRADUÇÃO DE ALGUNS TEXTOS DE AUTORES FUNDACIONAIS PARA OS ESTUDOS DA NEGRITUDE E AFRODIASPÓRICOS: FRANTZ FANON, LÉON-GONTRAN DAMAS E AIMÉ CÉSAIRE. ContraCorrente: Revista do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, [S.l.], n. 7, p. 172-182, maio 2017. ISSN 2525-4529. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/contracorrente/article/view/567>. Acesso em: 05 dez. 2019.