CHOQUE DE CULTURAS NA OBRA “UMA TEMPESTADE” DE AIMÉ CÉSAIRE

  • Francisco Guaracy Andrade da Silva ESTÁCIO

Resumo

O artigo em questão analisa o choque cultural através da africanidade dos personagens Caliban e Ariel na peça teatral Uma Tempestade (1969) do martinicano Aimé Césaire em contraposição ao comportamento dominador do personagem Próspero. O texto é uma adaptação da obra A Tempestade (1611), de William Shakespeare. Destaca-se também a análise dos diálogos interculturais e antagônicos entre os personagens Caliban e Próspero e entre Caliban (escravo negro) e Ariel (escravo mulato), inspirados no texto-base do dramaturgo inglês, com o intuito de mostrar ao leitor/espectador o enfoque ao choque sócio-cultural , o etnocentrismo, o andamento narrativo que valoriza a insatisfação do insubordinado na figura do escravo negro e as alegorias religiosas que constroem a temática que envolve o encontro de duas culturas através do discurso entre personagens que demonstram pelo diálogo o jugo da colonização europeia.

Publicado
2017-05-22
Como Citar
SILVA, Francisco Guaracy Andrade da. CHOQUE DE CULTURAS NA OBRA “UMA TEMPESTADE” DE AIMÉ CÉSAIRE. ContraCorrente: Revista do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, [S.l.], n. 7, p. 85-95, maio 2017. ISSN 2525-4529. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/contracorrente/article/view/558>. Acesso em: 09 dez. 2019.