POLIFONIAS FEMININAS DAS POLIGAMIAS. CONCERTO OU DESCONSERTO? RIWAN OU LE CHEMIN DE SABLE DE KEN BUGUL (SENEGAL) E NIKETCHE. UMA HISTÓRIA DE POLIGAMIA DE PAULINA CHIZIANE (MOÇAMBIQUE)

  • Catarina Martins Universidade de Coimbra

Resumo

Este artigo apresenta uma leitura feminista de dois romances escritos por mulheres africanas sobre o tema da poligamia. Outros romances serão incluídos na discussão, de modo a demonstrar como a polifonia como estratégia estética corresponde à intenção política de dar voz ao maior número de mulheres possível. Uma interpretação simplista da poligamia como sendo apenas uma forma de opressão para as mulheres, por oposição à monogamia como norma desejável, é contrariada pelo acento em constelações de poder complexas, que não podem ser definidas exclusivamente através do parâmetro do género, e por perspetivas interseccionais que descobrem formas de agência e semânticas de liberdade e empoderamento que os quadros conceptuais feministas, até ao momento, ainda não foram capazes de explicar.

Publicado
2017-05-22
Como Citar
MARTINS, Catarina. POLIFONIAS FEMININAS DAS POLIGAMIAS. CONCERTO OU DESCONSERTO? RIWAN OU LE CHEMIN DE SABLE DE KEN BUGUL (SENEGAL) E NIKETCHE. UMA HISTÓRIA DE POLIGAMIA DE PAULINA CHIZIANE (MOÇAMBIQUE). ContraCorrente: Revista do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, [S.l.], n. 7, p. 59-74, maio 2017. ISSN 2525-4529. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/contracorrente/article/view/555>. Acesso em: 22 out. 2019.