AS ESTRATÉGIAS DISCURSIVAS DE PERPETRADORES REFLEXÕES SOBRE A DITADURA MILITAR BRASILEIRA

  • Fabricio Fernandes UESPI

Resumo

Desde O que é isso, companheiro? e Os carbonários, passando por Retrato Calado, Ousar lutar, Memórias do esquecimento, O baú do guerrilheiro e tantos outros, os leitores brasileiros têm tido a possibilidade de conhecer um pouco melhor o que pensavam os opositores da ditadura militar no Brasil e, em alguns casos, de entrar em contato com suas refl exões atuais sobre aquele período. Levando em conta a evidência de que os relatos memorialísticos referemse constantemente a um período histórico específi co e, principalmente, travam um diálogo, por vezes implícito, com a versão ofi cial dos acontecimentos de então, é lícito procurar conhecer um pouco melhor a visão que têm dos fatos os representantes do poder. Do ponto de vista da evocação das memórias, é interessante perceber como alguns tópicos principais da questão do estabelecimento de um regime militar no país são negligenciados e/ou minimizados nas palavras dos militares.

Publicado
2017-05-22
Como Citar
FERNANDES, Fabricio. AS ESTRATÉGIAS DISCURSIVAS DE PERPETRADORES REFLEXÕES SOBRE A DITADURA MILITAR BRASILEIRA. Contra Corrente, [S.l.], n. 2, p. 23-42, maio 2017. ISSN 2525-4529. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/contracorrente/article/view/467>. Acesso em: 15 dez. 2018.