As representações simbólicas em “Filhos da várzea”, de Anibal Beça

  • Socorro Viana de Almeida UEA
  • Adriano Ferreira da Silva UEA

Resumo

Analisando-se a cultura amazônica na busca de encontrar o dominante que a mobiliza, depara-se com um verdadeiro universo povoado de seres, signos, imagens, fatos, atitudes que podem indicar múltiplas possibilidades de análise e interpretação. Esta pesquisa propõe-se a analisar as imagens verbais e representações simbólicas em três poemas do livro Filhos da Várzea, de Aníbal Beça. Para realizar essa análise utiliza-se como aporte teórico o trabalho de Charles Sanders Peirce (1839-1914), semiótica norte-americana, por considerarmos que pode contribuir com uma análise mais ampla do material concreto e abstrato, além de outras obras de relevância para a pesquisa. Observa-se que o autor realiza por meio de signos e símbolos a representação da cultura amazônica, colocando em evidência a vida cotidiana do caboclo, o espaço e o imaginário local.

Publicado
2018-11-30
Como Citar
ALMEIDA, Socorro Viana de; SILVA, Adriano Ferreira da. As representações simbólicas em “Filhos da várzea”, de Anibal Beça. Contra Corrente, [S.l.], n. 12, p. 51-69, nov. 2018. ISSN 2525-4529. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/contracorrente/article/view/1207>. Acesso em: 15 dez. 2018.