CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO INFANTIL: CAMPOS DE EXPERIÊNCIA, DIREITOS E DESEJOS DE APRENDIZAGEM

Resumo

O artigo analisa as possibilidades de construção de um currículo para creches e pré-escolas que, de acordo com as prerrogativas legais de nosso país, deve ser organizado por campos de experiência. Sustentando por um quadro teórico que articula dos estudos do campo do currículo produzidos na interface com os estudos culturais na perspectiva pós-estruturalista de análise, com a teoria crítica da cultura de Walter Benjamin e com as pedagogias da infância e da educação infantil, o texto versa sobre as reais possibilidades de se construir um currículo a partir das experiências das crianças. Tal empreendimento é realizado a partir de dados gerados por meio de uma etnografia produzida na interlocução com crianças de cinco anos de idade e seu professor em uma Unidade Municipal de Educação infantil (UMEI), situada em Belo Horizonte, Minas Gerais. As notas do caderno de campo permitem compreender que ao se organizar situações educativas a partir dos desejos de aprendizagem das crianças, o currículo por campos de experiência revela a potencialidade de meninos e meninas e, de igual modo, evidencia importantes dimensões constitutivas da docência da Educação infantil.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Professor Adjunto do Departamento de Administração Escolar da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (DAE/FaE/UFMG). Doutor em Educação pelo Programa de Pós-Graduação Conhecimento e Inclusão Social da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais (2016); Mestre em educação pelo mesmo Programa (2013); Especialista em Educação Infantil pelo Curso de Especialização Lato Sensu em Docência da Educação Básica (LASEB/FaE/UFMG); Pedagogo pelo Instituto Superior de Educação Anísio Teixeira (2008). Atualmente, é membro do Colegiado do Fórum Mineiro de Educação Infantil (FMEI) e representa a Região Sudeste no Comitê Diretivo do Movimento Interfóruns de Educação Infantil do Brasil (MIEIB). Atua no Grupo Diretivo da Rede Nacional Primeira Infância (RNPI) e integra a comissão nacional de mobilização e comunicação do Fórum Nacional Popular de Educação (FNPE).

##submission.authorWithAffiliation##

Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED) da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri. Bacharela e licenciada em Educação Física pela mesma instituição.

Referências

BENJAMIN, Walter. Reflexões: a criança, o brinquedo, a educação. São Paulo: Summus, 1984.
BENJAMIN, Walter. Sobre el Programa de la filosofia Venidera. In: BENJAMIN, Walter. Sobre el Programa de La Filosofia Venidera y otros ensayos. Trad. Espanhol Roberto J. Vernego. Caracas: Monte Avila Editores, 1989, p. 162 – 175.
BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF: MEC, 2016. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br. Acesso em: 20 jul. 2018.
BRASIL. Resolução Nº 5, de 17 de dezembro de 2009. Fixa as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação infantil. Diário Oficial da União: seção 1, Brasília, DF, n. 242, p. 18-19, 18 dez. 2009.
CARVALHO, Rodrigo Saballa de. Análise do discurso das diretrizes curriculares nacionais de educação infantil: currículo como campo de disputas. Educação, Porto Alegre, v. 38, n. 3, p. 466-476, set./dez. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.15448/1981-2582.2015.3.15782
DELEUZE, Gilles. Desejo e Prazer. Tradução Luiz Orlandi. Cadernos de Subjetividade, número especial, p. 13-25. 1996.
DELEUZE, Gilles. O abecedário de Gilles Deleuze. Entrevista concedida em vídeo a Claire Parnet. Vídeo. Editado no Brasil pelo Ministério de Educação, “TV Escola”, série Ensino Fundamental, 2001.
DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O Anti-Édipo: Capitalismo e Esquizofrenia. Tradução Joana Morais Varela e Manuel Maria Carrilho. Rio de Janeiro: Imago, 1976.
GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas- l. ed., 13ª reimpressão. - Rio de Janeiro: LTC, 1989.
GRAUE, Elizabeth; WALSH, Daniel J. Investigação etnográfica com crianças: teoria, métodos e técnicas. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2003.
HALL, Stuart. Quem precisa da identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeu da; HALL, Stuart; WOODWARD, Kathryn. Identidade e diferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis: Vozes, 2005. P. 103-133.
LARROSA, Jorge. O enigma da infância ou o que vai do impossível ao verdadeiro. In: LARROSA, Jorge. Pedagogia Profana: danças, piruetas e mascaradas. Tradução de Alfredo Veiga-Neto. – 5ª ed. Belo Horizone: Autêntica, 2010, p. 183-198.
PARAÍSO, Marlucy Alves. Currículo, Desejo e Experiência. Educação e Realidade. n.º 34, v. 2: mai/ago 2009, p. 277-293.
ROCHA, Eloisa Arcires Candal. A Pesquisa em Educação infantil no Brasil: trajetória recente e perspectivas de consolidação de uma pedagogia. 1999. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 1999.
SANTOS, Sandro Vinicius Sales dos. Currículo da educação infantil - considerações a partir das experiências das crianças. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 34, e188125, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-4698188125
SANTOS, Sandro Vinicius Sales dos. Experiência, desejos e outras maquinarias infantis: a emergência do outro-criança no currículo da educação infantil. In: BRAGA, Denise da Silva; SANTOS, Sandro Vinicius Sales dos. Vozes que ecoam nos currículos: projeções de identidade em diferentes processos de escolarização. Curitiba: CRV, 2021, p.p. 29-42.
SANTOS, Sandro Vinicius Sales dos. Walter Benjamin e a experiência infantil: contribuições para a Educação infantil. Pro-Posições. v. 26, n. 2 (77), p. 223-239, mai/ago. 2015. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-7307201507711
SANTOS, Sandro Vinicius Sales dos; BARROSO, Fabiana Pinheiro; MACHADO, Jessica Mayara Nascimento. Convergências e tensões na produção acadêmica sobre currículo da educação infantil. Revista e-Curriculum, v. 18, n. 1, p. 350-371, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.23925/1809-3876.2020v18i1p
SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de Identidade: uma introdução Às teorias do currículo. 3ª ed. 4ª reimp. – Belo horizonte: Autêntica, 2013.
SILVA, Tomaz Tadeu da. O currículo como fetiche: a poética e a política do texto curricular. 1ª edi. 3ª reimp. – Belo Horizonte: Autência, 2006.
Publicado
2023-01-01
Como Citar
SANTOS, SANDRO VINICIUS SALES DOS; BENTO, Maksilane Eudilane. CURRÍCULO DA EDUCAÇÃO INFANTIL: CAMPOS DE EXPERIÊNCIA, DIREITOS E DESEJOS DE APRENDIZAGEM. Revista Vagalumear, [S.l.], v. 2, n. 3, p. 123-136, jan. 2023. ISSN 2763-9916. Disponível em: <https://periodicos.uea.edu.br/index.php/rv/article/view/2572>. Acesso em: 18 maio 2024.
Seção
Políticas Públicas e Educação Básica: desafios e lutas da atualidade