Neurocriptococose cursando com síndromes parkinsoniana e demencial de lenta progressão

  • Ronaldo Marques Pontes Rabelo Hospital Universitário Getúlio Vargas
  • Denis Birman Hospital Universitário Getúlio Vargas
  • Karoliny da Silva Vieira Hospital Universitário Getúlio Vargas
  • Marcus Vinicius Gomes Rodrigues Hospital Universitário Getúlio Vargas
  • Mariza Marques de Oliveira Hospital Universitário Getúlio Vargas
  • Marcus Vinicius Della Colleta Hospital Universitário Getúlio Vargas

Resumo

A infecção do sistema nervoso central pelo Cryptococcus neoformans ocorre tanto em pacientes imunossuprimidos quanto em imunocompetentes; os sintomas comuns incluem cefaléia, fotofobia, náuseas e rebaixamento do nível de consciência. Este quadro clínico é inespecífico e contribui para o atraso do diagnóstico, que aumenta o risco de sequelas permanentes. Entretanto, alguns pacientes apresentam quadros atípicos, como sintomas parkinsonianos, que não direcionam o raciocínio clínico para este agente. O tratamento é baseado na terapia antifúngica incluindo anfotericina B e/ou derivados imidazólicos e em punções lombares de repetição, visando reduzir a pressão intracraniana, que também está diretamente relacionada ao desfecho. Relatamos o caso de um paciente de meia-idade, que apresentava quadro parkinsoniano e psiquiátrico de lenta progressão e de comportamento clínico atípico, e cuja investigação evidenciou a presença deste fungo no líquor. O tratamento adequado permitiu melhora clínica geral e sintomática importante.

Publicado
2016-12-01
Como Citar
RABELO, Ronaldo Marques Pontes et al. Neurocriptococose cursando com síndromes parkinsoniana e demencial de lenta progressão. Revista de Ciências da Saúde da Amazônia, [S.l.], n. 2, dez. 2016. ISSN 2447-486X. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/cienciasdasaude/article/view/770>. Acesso em: 13 dez. 2017.
Edição
Seção
Relato de Caso