Coalizão Pancarpal – Um Achado Raro.

  • Marcio Luís Duarte WEBIMAGEM
  • Felipe Nunes Figueiras Hospital Guilherme Álvaro
  • Thaís Nogueira Dantas One Laudos Telerradiologia
  • Élcio Roberto Duarte São Gabriel Especialidades Médicas e Radiológicas

Resumo

Introdução: coalizão carpal é caracterizada pela união anômala de dois ou mais ossos do carpo. Em uma coalizão óssea, os elementos do carpo estão unidos como um único bloqueio ósseo, enquanto que, na coalizão não-óssea, os ossos do carpo afetados são unidos por tecido cartilaginoso (sincondrose), tecido fibroso (sindesmose) ou alguma combinação dos dois. Relato dos casos: Caso 1: Mulher de 56 anos com dor e limitação funcional no punho direito há 04 meses. Refere artrite reumatóide por 25 anos. Caso 2: Homem de 39 anos com dor na mão direita após trauma há cinco anos. Refere dor na mão direita antes do trauma, mas com acentuada piora após o episódio, limitando a movimentação da articulação. Discussão: A coalizão pancarpal, que é a fusão de todos os ossos do carpo, geralmente ocorre dentro da constelação de uma síndrome, como a síndrome de Ellis-van-Creveld, a síndrome de Holt-Oram, artrogripose, a síndrome otopalatodigital e síndrome de Apert. A coalizão carpal pode estar eventualmente relacionada a artropatias inflamatórias – artrite reumatoide, artrite juvenil, artrite psoriática e a Síndrome de Reiter. Conclusão: Relatamos dois raros casos de coalizão pancarpal de etiologias diferentes documentados pela radiografia e pela ressonância magnética.

Publicado
2019-11-26
Como Citar
DUARTE, Marcio Luís et al. Coalizão Pancarpal – Um Achado Raro.. Revista de Ciências da Saúde da Amazônia, [S.l.], n. 1, p. 66-71, nov. 2019. ISSN 2447-486X. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/cienciasdasaude/article/view/1516>. Acesso em: 14 jul. 2020.