Perfil clínico-epidemiológico de crianças internadas em uma Unidade de Terapia Intensiva de referência pública do estado do Pará, Amazônia, Brasil.

  • Cláudia Maria Maciel de Oliveira Universidade do Estado do Pará
  • Deise Maria Campos Barroso
  • Irna Carla do Rosário Souza Carneiro Instituto Evandro Chagas
  • Márcia de Fátima Maciel de Rojas Hospital de Clínicas Gaspar Vianna
  • Regis Bruni Andriolo Universidade do Estado do Pará (UEPA)
  • João Bosco de Souza Filho Centro Universitário do Pará (CESUPA)
  • Juliane Tayse Ribeiro Maia Faculdade Metropolitana da Amazônia (FAMAZ)
  • Marina Geórgia Cruz Keuffer Centro Universitário do Pará (CESUPA)

Resumo

A pesquisa foi realizada a partir da consulta de 232 prontuários de crianças internadas no período de janeiro à dezembro de 2016. Neste estudo foi utilizado o teste Qui-quadrado de Pearson (amostras independentes) para tendência. Para realização do teste, foi adotado um nível de significância de p-valor < 0.05, Desta forma, os dados coletados foram tabulados, interpretados, processados e analisados por meio da estatística descritiva e analítica. Para a análise dos dados foram utilizados recursos de computação, por meio do processamento no sistema Microsoft Excel, Statistic Package for Social Sciences (SPSS) versão 22.0, todos em ambiente Windows 7. Houve uma maior frequência de internações de crianças do sexo masculino (120; 51,72%), porém esta frequência não difere significativamente (p>0.05) da frequência de crianças do sexo feminino (112; 48,28%). A maioria dos pacientes encontrava-se na faixa etária de lactentes de 29 dias a 6 meses (137; 59,05%), e eram procedentes do interior do estado do Pará (179; 77,16%), sendo estas apontadas como tendências significativas (p<0.05) entre os pacientes. Observou-se que 104 (44,83%) crianças permaneceram internadas por até 30 dias. Quanto as doenças mais prevalentes as malformações congênitas do aparelho circulatório corresponderam à 80,17% (186) e a taxa de mortalidade hospitalar ficou em 15%. Os resultados desta pesquisa apontam um perfil de lactentes, procedentes do interior do Estado, sendo as doenças mais prevalentes neste grupo as malformações congênitas do aparelho circulatório e uma taxa de mortalidade hospitalar chegando a 15%.

Publicado
2019-11-25
Como Citar
DE OLIVEIRA, Cláudia Maria Maciel et al. Perfil clínico-epidemiológico de crianças internadas em uma Unidade de Terapia Intensiva de referência pública do estado do Pará, Amazônia, Brasil.. Revista de Ciências da Saúde da Amazônia, [S.l.], n. 1, p. 38-46, nov. 2019. ISSN 2447-486X. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/cienciasdasaude/article/view/1506>. Acesso em: 14 jul. 2020.