PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E MÉTODOS DIAGNÓSTICOS DE PACIENTES COM NEFROLITÍASE ATENDIDOS NO SERVIÇO DE UROLOGIA DA FUNDAÇÃO HOSPITAL ADRIANO JORGE NOS ANOS DE 2010 A 2012 NA CIDADE DE MANAUS-AMAZONAS.

  • Sérgio Antônio Saldanha Rodrigues Filho Fundação Hospital Adriano Jorge
  • Jonas Rodrigues de Menezes Filho Fundação Hospital Adriano Jorge
  • Gabrielle Alessandra Socorro do Nascimento Universidade Nilton Lins

Resumo

A nefrolitíase é considerada em alguns estudos como um problema de saúde pública. Estima-se que de 5 a 15% da população mundial apresentará algum episódio de calculose renal ao longo da vida, estando entre o grupo mais susceptível indivíduos do sexo masculino (3:1), de raça caucasiana e de faixa etária jovem, sobretudo entre 20 a 40 anos.É importante ressaltar que a litíase tem altas taxas de recorrência. A tomografia computadorizada (TC) helicoidal tem desempenhado papel importante no diagnóstico e tratamento da litíase renal, sendo nos últimos anos considerada, por alguns autores como um “divisor de águas”, papel antes atribuído à urografia excretora (UE). Analisou-se 66 pacientes, em sua maioria homens, a maior parte entre 20 e 40 anos. Ao todo, 82% tiveram cólica nefrética, 12% de infecção do trato urinário e 6% diagnóstico incidental. 42% realizaram raio-x de abdome na avaliação inicial, 86% realizaram, pelo menos, uma ultrassonografia de rins e vias urinárias, 33% foram submetidos a tomografia computadorizada, 97% coletaram amostra de urina para EAS, 48% coletaram urina de 24h, 6% se submeteram a uma urografia excretora, e em 62 pacientes (94%) foi-se solicitada bioquímica sérica. A terapêutica clínica mais empregada foi a orientação dietética (97%). Com relação ao tratamento cirúrgico, foram 25 cirurgias, com 6 complicações, todas autolimitadas. Por fim, quanto ao desfecho evolutivo destes pacientes: 34 (52%) tiveram resolução do quadro, sem recidivas no período de estudo; 17 (26%) tiveram recidiva do quadro, sendo 16 pacientes após tratamento clínico exclusivo e apenas uma recidiva após tratamento cirúrgico (LECO); e houve falha terapêutica em 15 pacientes (23%), sendo que 12 destes foram encaminhados para uma primeira ou nova cirurgia. O presente estudo reafirma a maioria dos indicadores de outros estudos de nível nacional e mundial para os hospitais envolvidos.

Publicado
2018-09-04
Como Citar
SALDANHA RODRIGUES FILHO, Sérgio Antônio; RODRIGUES DE MENEZES FILHO, Jonas; SOCORRO DO NASCIMENTO, Gabrielle Alessandra. PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E MÉTODOS DIAGNÓSTICOS DE PACIENTES COM NEFROLITÍASE ATENDIDOS NO SERVIÇO DE UROLOGIA DA FUNDAÇÃO HOSPITAL ADRIANO JORGE NOS ANOS DE 2010 A 2012 NA CIDADE DE MANAUS-AMAZONAS.. Revista de Ciências da Saúde da Amazônia, [S.l.], n. 1, p. 39-49, set. 2018. ISSN 2447-486X. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/cienciasdasaude/article/view/1148>. Acesso em: 18 set. 2018.