ANÁLISE QUANTITATIVA DOS ANTÍGENOS DE SUPERFÍCIE DO VÍRUS DA HEPATITE B EM PORTADORES DE HEPATITE B EM ASSOCIAÇÃO COM VÍRUS DA HEPATITE D NO AMAZONAS.

  • Ana Ruth Silva de Araújo Universidade Federal do Amazonas
  • Anthony Reis Mello de Souza Universidade Federal do Amazonas
  • Edson da Fonseca de Lira Universidade Federal do Amazonas/Fundação de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas, Órgão Público, Saúde
  • Maria Auxiliadora Monteiro Novais Universidade Federal do Amazonas

Resumo

Trata-se de um estudo de análise quantitativa do HBsAG em portadores de Hepatite B em associação com o vírus da Hepatite D na Amazônia. Referencial teórico e objetivos - A estimativa mundial é de 400 milhões de portadores crônicos do vírus da hepatite B, e, no Brasil, principalmente na região amazônica, a prevalência varia de 5 a 15% de infecção pelo HBV. Estima-se que 15-20 milhões destes indivíduos sejam co-infectadas ou super-infectadas com o HDV. Estudos sugerem que a combinação do HBsAg quantitativo com HBV-DNA possa ser uma ferramenta de diagnóstico, prognóstico e um marcador preditivo para a terapia antiviral. Métodos - Estudo transversal, descritivo de série de casos a fim de avaliar as concentrações de HBsAg quantitativo em pacientes com infecção pelo HBV em associação com HDV. Foram analisados ​​dados demográficos e exames laboratoriais para determinar as concentrações de ALT, carga viral, status do HBeAg e HBsAg quantitativo de 48 pacientes. Resultados - Não houve diferença entre os sexos e houve predominância de jovens adultos. Os estágios da doença onde ocorreu maior incidência foram o de baixa replicação e fase de tolerância imunológica, onde houve maior quantidade média de HBsAg. Há uma associação estatisticamente significativa entre o HBeAg e anti-HDV. Havia mais pacientes HBeAg-negativos entre os co-infectados do que em monoinfectados. Não houve associação estatisticamente significativa entre HBsAg quantitativo e ALT, HBsAg quantitativo e carga viral e HBsAg quantitativo e status do HBeAg. Foi encontrada associação significativa entre o anti-HDV e os níveis de carga viral do HBV, e o HBsAg quantitativo foi superior na fase de imunotolerância. Conclusão - Existe alta prevalência de co-infecção HBV / HDV no estado do Amazonas, parecendo estar relacionado com a inibição da replicação do HBV e com os níveis de HBsAg quantitativo.

Publicado
2018-09-04
Como Citar
SILVA DE ARAÚJO, Ana Ruth et al. ANÁLISE QUANTITATIVA DOS ANTÍGENOS DE SUPERFÍCIE DO VÍRUS DA HEPATITE B EM PORTADORES DE HEPATITE B EM ASSOCIAÇÃO COM VÍRUS DA HEPATITE D NO AMAZONAS.. Revista de Ciências da Saúde da Amazônia, [S.l.], n. 1, p. 2-15, set. 2018. ISSN 2447-486X. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/cienciasdasaude/article/view/1147>. Acesso em: 14 nov. 2018.