ENSINO DE CIÊNCIAS EM AMBIENTES NÃO-FORMAIS: ESTRATÉGIAS PARA POPULARIZAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DO CERRADO

  • Patrícia Spinassé Borges UEG
  • Marcelo Duarte Porto UEG
  • Juliana Simião-Ferreira UEG

Resumo

A disciplina de Ciências deveria servir para uma reflexão e investigação do meio que nos cerca, onde o aluno é o agente principal dessa ação. O professor pode utilizar como estratégia de ensino uma trilha interpretativa. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a utilização de uma trilha interpretativa (Trilha do Tatu - localizada na Universidade Estadual de Goiás) e uma palestra dialogada com o intuito de popularizar o conhecimento do bioma Cerrado. A Epistemologia Genética de Jean Piaget está entre os fundamentos teóricos elegidos. Os resultados obtidos, por meio da análise dos questionários e dos desenhos dos alunos que participaram primeiro da atividade na trilha, sugerem uma mudança na percepção ambiental. As trilhas interpretativas são instrumentos que podem ser eficazes para promover a popularização do conhecimento do bioma Cerrado e sua biodiversidade uma vez que os alunos podem vivenciar experiências reais.

Publicado
2020-11-19
Como Citar
BORGES, Patrícia Spinassé; PORTO, Marcelo Duarte; SIMIÃO-FERREIRA, Juliana. ENSINO DE CIÊNCIAS EM AMBIENTES NÃO-FORMAIS: ESTRATÉGIAS PARA POPULARIZAÇÃO DA BIODIVERSIDADE DO CERRADO. Revista Areté | Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [S.l.], v. 14, n. 28, p. 85-97, nov. 2020. ISSN 1984-7505. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/1987>. Acesso em: 05 dez. 2020.
Seção
Artigos