JARDIM BOTÂNICO DE MANAUS ADOLPHO DUCKE: POSSIBILIDADES PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA

  • Gyane Leal
  • Luana da Costa
  • Augusto Terán

Resumo

Espaços educativos fora da sala de aula são de extrema relevância no processo de ensino aprendizagem das ciências, principalmente quando se trata das ciências naturais. O objetivo deste relato de experiência é promover uma reflexão acerca das possibilidades pedagógicas para ensinar ciências utilizando os recursos presentes no Jardim Botânico de Manaus Adolpho Ducke. O nosso reporte fundamentou-se em autores, como Araújo (2013), Linhares e Gewandsznajde (1997), Queiroz (2013), Rocha e Fachín-Terán (2010), Vieira (2005) e outros. As observações e registros foram realizados durante uma prática de campo realizada na Disciplina Educação em Ciências em Espaços não Formais com os estudantes do Mestrado em Educação e Ensino de Ciências na Amazônia da Universidade do Estado do Amazonas. No local foram observados os elementos existentes que pudessem ser utilizados no ensino de ciências, sendo que conhecemos uma exposição intitulada “Gente e Peixe” que revelava o cotidiano dos povos indígenas amazônicos e sua relação com a natureza. Conclui-se que é importante valorizar os espaços não formais, neste caso, o Jardim Botânico de Manaus Adolpho Ducke, uma vez que possui elementos valiosos que permitem possibilidades interessantes para ensinar ciências no contexto amazônico.

Publicado
2017-05-02
Como Citar
LEAL, Gyane; DA COSTA, Luana; TERÁN, Augusto. JARDIM BOTÂNICO DE MANAUS ADOLPHO DUCKE: POSSIBILIDADES PEDAGÓGICAS PARA ENSINAR CIÊNCIAS NA AMAZÔNIA. Revista Areté | Revista Amazônica de Ensino de Ciências, [S.l.], v. 7, n. 13, p. 204-211, maio 2017. ISSN 1984-7505. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/arete/article/view/115>. Acesso em: 13 dez. 2019.
Seção
Relato de Experiência