Amor et violentia: um debate em torno das relações de poder nas representações poéticas pederásticas de Catulo e nos epigramas da Priapeia da Roma Antiga

  • Elivelton Souza da Silva Universidade do Estado do Amazonas

Resumo

Este artigo tenciona, em linhas gerais, interpretar a representação do homoerotismo nas produções poéticas pederásticas catulianas e da violência na chamada priapeia latina da Roma antiga, sob a noção do pensamento antigo a respeito de sexualidade. Consiste, ainda, em descrever o reflexo dos costumes da sociedade romana diante dessas produções, visto se tratarem de dois modelos poéticos: o primeiro, trazido por Catulo, é voltado a composições “pederásticas”, pois faz menção ao amor do poeta por um adolescente chamado Juvêncio; o segundo modelo são textos, poemas e epigramas, voltados ao deus Priapo, nos quais há o teor de ameaça e de violência, por meio das quais o deus usaria seu falo para castigar os ladrões que invadissem seu jardim, por exemplo. Para tanto, foram selecionados oito poemas, sendo quatro dos Carmina Catulli e quatro da Priapeia latina. Com este artigo, pôde-se compreender o retrato sociocultural que emerge a partir dessas representações, e, ainda, associá-las à forma com que as relações pederásticas catulianas e a violência presente na chamada priapeia latina alinham-se a questões mais gerais, como poder, prazer e estratificação social.

Publicado
2019-06-13
Como Citar
DA SILVA, Elivelton Souza. Amor et violentia: um debate em torno das relações de poder nas representações poéticas pederásticas de Catulo e nos epigramas da Priapeia da Roma Antiga. ContraCorrente: Revista do Programa de Pós-Graduação Interdisciplinar em Ciências Humanas, [S.l.], n. 13, p. 123-141, jun. 2019. ISSN 2525-4529. Disponível em: <http://periodicos.uea.edu.br/index.php/contracorrente/article/view/1426>. Acesso em: 21 ago. 2019.